• Página inicial da Amadeus
  • Notícias e eventos
  • Notícias
  • Você é um “buscador de simplicidade” ou um “buscador de capital social ...

Você é um “buscador de simplicidade” ou um “buscador de capital social”? Novo estudo revela como e por que nós vamos viajar até 2030

Relatório encomendado pela Amadeus e escrito pela consultoria de tendências de consumo global The Future Foundation, define as seis “tribos de viajantes” ou segmentos que vão surgir até o final da próxima década

As descobertas são baseadas em entrevistas com os principais futurologistas, especialistas da indústria de viagens e viajantes de todo o mundo

23/04/2015.
Londres, Reino Unido e Madrid, Espanha, 23 de abril de 2015 - Até 2030, mais de 1,8 bilhões de pessoas irão viajar internacionalmente todos os anos, e o que nos motiva e como nos comportamos será radicalmente diferente do que é hoje.
 
No final da década, algumas pessoas irão comprar e consumir experiências de viagem quase inteiramente baseadas em como compartilhável elas são, ou quanto “capital” elas geram por meio das redes sociais. Outro grupo de viajantes vai exigir total simplicidade e liberdade para organizar suas próprias viagens até 2030, querendo o máximo possível que estas sejam feitas remotamente, por terceiros. Ao mesmo tempo, um grupo específico irá surgir apenas com um desejo mais hedonista, indulgente e que deve obrigatoriamente ter experiências.
 
Estas são apenas algumas das previsões do Future Traveller Tribes 2030: entendendo o viajante do futuro, um novo relatório lançado hoje, que identifica as diferentes características de viajantes e segmentos que a indústria pode esperar surgir e tornar proeminente nos próximos quinze anos.
 
O processo de pesquisa, que teve uma abordagem psicográfica ao invés de demográfica, foi baseado nas previsões de pesquisa de consumo da Future Foundation para identificar as seis características distintas de viajantes, como:
 
•    Buscadores de Capital Social vão estruturar suas férias quase que exclusivamente com o público online em mente, que acreditam fortemente nas recomendações dos usuários para validar as suas decisões. Um novo mercado pode se abrir com base no “Klout-boosting breaks", repleto de momentos conscientemente amigáveis.

•    Puristas Culturais vão olhar para o planejamento de férias como uma oportunidade de mergulhar em uma cultura exótica, mesmo que de maneira desconfortável, onde o prazer das férias depende da autenticidade da experiência

•    Viajantes Éticos vão fazer os planos de viagens com base em fatores morais, por exemplo, diminuindo sua emissão de carbono ou melhorando a vida dos outros. Eles muitas vezes vão improvisar ou adicionar algum elemento de voluntariado, desenvolvimento comunitário ou atividade eco-sustentável em suas férias

•    Buscadores de Simplicidade preferem ofertas empacotadas, evitando gerenciar muitos detalhes da viagem. As férias para esta tribo representam um raro momento na vida para cuidar de si mesmo com garantia de segurança e diversão

•    Viajantes por Obrigação são orientados por um propósito específico de viagens, seja a negócios ou lazer e, portanto, têm restrições de tempo e orçamento. Eles buscarão tecnologia baseada em algoritmo inteligente capaz de eliminar qualquer tipo de aborrecimento nas viagens

•    Caçadores de Recompensa estão apenas interessados em viagens recompensadoras. Muitos querem algo que represente uma extraordinária recompensa ou que ofereça uma experiência premium, um retorno para o alto investimento em tempo e energia em sua vida profissional
 
Julia Sattel, Vice-presidente sênior de Airline IT da Amadeus, disse: "Olhando para os últimos 15 anos, é difícil estimar o quanto a indústria de viagens alcançou em termos de inovação, custos e opções para os viajantes. E ainda, como estamos ansiosos para os próximos 15 anos até 2030, está claro que a mudança só vai acelerar. Com isto em mente, compreender as novas "tribos de viajantes" será vital para todos os provedores, compradores e vendedores de viagens nos próximos anos, a fim de garantir que as decisões de investimentos corretas sejam feitas agora e para ajudar a facilitar e atender à demanda da indústria para uma personalização maior do que nunca, em toda a cadeia de viagem."
 
Nick Chiarelli, diretor da Future Foundation, comentou: "Nossa pesquisa mostra não só que o tipo de experiência exigido pelos viajantes em 2030 será diferente do que em 2015, mas que o modo como os viajantes compram e envolvem-se com a indústria também está prestes a mudar. Ao longo dos próximos 15 anos, o desejo de compartilhar experiências de viagem será intenso e, assim, o impacto de compartilhar as tendências de compra e inspiração vai crescer. Como os consumidores nos mercados desenvolvidos abordam uma era pós-material, em primeiro lugar, esperamos um foco muito maior na experiência e, em segundo lugar, ética, tanto ambiental como social, para influenciar significativamente comportamentos e as opções de viagens das pessoas."

Para baixar o relatório e ver a qual tribo você pertence, por favor visite www.amadeus.com/tribes2030. Posteriormente você também poderá baixar um segundo relatório complementar, escrito pela Frost & Sullivan, que examina como a indústria de viagens pode atender às necessidades e hábitos individuais de compras das seis tribos identificadas no Future Traveller Tribes 2030: entendendo o viajante do futuro.